terça-feira, 15 de agosto de 2017

Maior navio de Cruzeiro do mundo _ Harmony of the Seas

Nossa Senhora das Vitórias

Domínio anticatólico

Em 1627 a importante cidade portuária de La Rochelle, na França, tinha-se tornado um grande e poderoso reduto do crescente protestantismo. O Rei católico Luís XIII tinha como ministro um Cardeal chamado Richelieu. Juntos, os dois reuniram o exército e empreenderam um cerco a La Rochelle. O objetivo era por fim à onda anticatólica que dominava a cidade.

Uma potência apoiando os revoltosos

A vitória, porém, seria muito difícil, pois os protestantes eram apoiados por uma potência bélica: a Inglaterra. Em vista disso, Luís XIII pediu à Rainha Ana da Áustria, sua esposa, para movimentar os católicos e motivá-los para que se fizessem orações públicas pedindo a vitória da fé católica em todas as igrejas da cidade de Paris.
 Oração a Nossa Senhora das Vitórias
Santíssima Virgem Maria, Nossa Senhora das Vitórias, filha dileta de Deus Pai, Mãe de Jesus, nosso Salvador, tabernáculo do Espírito Santo, eis-me aqui diante de vossa imagem, para consagrar-me inteiramente a vós. Trago-vos, Senhora, minha vida, meu trabalho, os sofrimentos e as alegrias, as lutas e as esperanças, tudo que tenho e que sou para oferecer ao vosso filho por vossas mãos de mãe. Sou todo vosso, ó Maria. Peço vossa proteção para nunca abandonar a fé católica, traindo a Jesus. Conservai-me na graça de vosso divino filho. Dai-me força para viver de verdade o amor fraterno e assumir minha responsabilidade de cristão no mundo. Ó Senhora das Vitórias, aceitai-me como filho(a) e guardai-me sob o vosso manto protetor. Amém!”

domingo, 13 de agosto de 2017

Panapaná

Há dois anos, o grupo Panapaná (coletivo de borboletas) – criado pela médica reumatologista, Dra. Niedja Bezerra, após vencer um câncer linfático – leva amor, esperança e alegria a pacientes que sofrem com a doença. Hoje, com mais de 42 voluntários, eles apoiam o Grupo de Apoio ao Paciente Onco – Hematológico do Estado do Ceará (GAPO), e estão realizando um show beneficente, no Iate Clube, com a presença de Xandy Avião, Ítalo e Reno e DJ Itaquê.
A história do Panapaná começou quando Niedja teve o diagnóstico de câncer linfático. Ao dar a notícia para as amigas, ela comparou aquele momento que estava prestes a passar com um deserto, o qual ela precisaria atravessar. No entanto, no meio do caminho, ela teria muitos oásis e borboletas. Assim nasceu as “Borboletinhas da Ni”, cerca de cinquenta amigas que se uniram para apoiá-la nesse momento difícil e na busca incansável da cura.
Todos os dias, a médica cearense recebia um mimo, livros, imagens...
Assim, ela sentiria que não estava só. Quando passava por sessões de quimioterapia em São Paulo, as “borboletas” pousavam em outros jardins e levavam à instituições de caridade, orfanatos  e asilos, carinho em forma de cestas básicas, material de higiene, lençóis e brinquedos.
Depois de curada, Niedja decidiu ser uma “borboleta” também, para fazer com que outras pessoas se sentissem como ela se sentiu: lembrada e amada. Ela contou toda a sua história em “Panapaná”, livro lançado em dezembro de 2015. Toda a renda dos exemplares foi destinada ao GAPO.
Dra. Niedja Bezerra

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

SALVANDO A SI MESMO:




Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.
É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. 
Só tem mulher quem pode!
Luiz Fernando Veríssimo.

Dia de Santa Clara!!


sábado, 22 de julho de 2017

verdade


"O coração, em se habituando à fantasia, custa-lhe, muito depois, a desfazer-se delas quando vem a realidade." (Camilo Castelo Branco)